sexta-feira

A Escola da Vida - Filme Completo

Você sabe o que é um WIKI?


Você sabe o que é WIKI?


Wiki é uma coleção de muitas páginas interligadas e cada uma delas pode ser visitada e editada por qualquer pessoa. O que torna bastante prático, a reedição e futuras visitas. Você pode editar esta página, clicando no separador no início da página (ou no link do fim da página, dependendo do modelo que estiver usando). É isso aí...

Por exemplo, esta frase que agora está a ler foi acrescentada por alguém que a editou. Wiki é hoje em dia a forma mais democrática e simples de qualquer pessoa, mesmo sem conhecimentos técnicos, contribuir para os conteúdos de uma página Web.

Este site é um trabalho colaborativo na Web, em constante expansão e aprimoramento, com os leitores criando páginas acerca de seus interesses, comentando páginas antigas, propondo páginas novas etc. É de suma importância que as pessoas tenham total respeito por este trabalho, tendo em vista sua abrangência. Há várias ferramentas Wiki à nossa disposição. A Wikimedia, fundação que mantém o projeto Wikipédia, distribui a mesma versão aqui utilizada sob a licença GNU (open source).

Uma característica notável das ferramentas Wiki é a facilidade de edição e a possibilidade de criação de textos de forma coletiva e livre, assim como se faz na Wikipédia e em outros projetos que utilizam Wikis

FONTE: WIKIPEDIA

Pierre Bourdieu - Capital Cultural


Vídeo que apresenta alguns conceitos de  Pierre Bourdieu como capital cultural, CulturaArbitrário Cultural Dominante

Pierre Bourdieu e a Educação




Pequeno vídeo que apresenta alguns conceitos do sociólogo Pierre Bourdieu 

segunda-feira

Escola de Itacaranha vence concurso de incentivo à leitura


Projeto Leitura em Campo


NOTÍCIAS


Escola de Itacaranha vence concurso de incentivo à leitura


24/08/2012

A professora Fabiana Silva, da Escola Municipal Deputado Cristóvão Ferreira (Itacaranha), foi a grande vencedora do projeto Leitura em Campo com o melhor projeto de contação de histórias e incentivo à leitura executado em sala de aula. A premiação foi na tarde desta sexta-feira, no Centro Cultural da Câmara de Vereadores de Salvador. Há 12 anos na rede municipal de ensino, a educadora trabalhou o livro “A semente da verdade” e seus 27 alunos, de 9 e 16 anos, do 5º ano (Ensino Fundamental I) apresentaram um teatro de sombras.

“Eu trabalhei com as crianças a habilidade de recontar a história de outras formas do livro que aborda a importância dos valores sociais e montamos uma ‘tempestade de ideias’ sobre quais as formas eles poderiam usar, como fantoche, música, dança até chegarmos ao teatro de sombras. Fico muito feliz e quero agradecer a minha turminha por mais este prêmio”, explica Fabiana, que ganhou um notebook e a escola uma mala com acervo de 450 livros. A solenidade de premiação foi realizada nesta sexta-feira (24), no Centro Cultural da Câmara de Vereadores.

O segundo lugar ficou com a professora Fábia Alessandra de Almeida, da Escola Municipal Beatriz de Farias (Cajazeiras) e levou uma máquina fotográfica, além de uma mala com livros. “Fiquei surpresa pelo segundo lugar e muito feliz. Esta é a minha primeira premiação em um concurso”, declara. Ela trabalhou com a obra “O livro que não tinha fim” com os seus 27 alunos, de 9 e 11 anos.

Já o terceiro lugar ficou com a professora Rosângela Silva, da Escola Municipal Dra. Maria do Carmo Vilaça (Águas Claras), que levou a história aos seus 32 alunos, de 8 a 11 anos, do livro “A gritadeira”, que fala sobre o consumo consciente e a conservação do meio ambiente. “Esta é primeira vez que participo de um concurso e fiquei muito feliz. Este projeto foi um aprendizado para os professores e ainda uma forma de aguçar a curiosidade dos alunos”, explica Rosângela, que ganhou uma mala de livros para a escola.

Além das três professoras, outra educadora, Márcia Monte, também concorreu e ganhou um acervo de livros para a Escola Municipal Elysio Athayde, em Cajazeiras. Por acabar de entrar em licença maternidade, foi representada pela vice-diretora, Ana Carla Lopes.

PROJETO - O projeto é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secult), a Fundação Educar Dpaschoal e MontSanto. A iniciativa tem como objetivo estimular a contação de histórias e incentivar os alunos a ler, através da capacitação dos educadores da rede pública, oficinas, premiação e acompanhamento de projetos.

quarta-feira

Pedagogia Waldorf

Mas um vídeo do Método Waldorf, aqui uma reportagem do Programa Tudo a Ver Santos em uma escola de Educação Infantil que trabalha com Waldorf.

segunda-feira

Educação Online - Marco Silva (org)


Para os que estão construindo os caminhos novos da educação online, algumas questões são fundamentais:  que pedagogia inspira o nosso trabalho, qual o papel do desenho instrucional, como construir verdadeiras comunidades virtuais de aprendizagem, o que diz a legislação sobre essa modalidade eduacional, quais são as mudanças no ambiente corporativo a partir da  comunicação e da colaboração entre pessoas que aprendem em rede.

Neste livro, organizado por Marco Silva, que reúne o pensamento de 56 autores brasileiros em 33 capítulos, procura-se responder a essas e muitas outras questões, oferecendo subsídios para a gestão do conhecimento em universidades corporativas, em cursos online e em uma série de outros ambientes educacionais próprios da cibercultura. Educação online, organizado por Marco Silva é das Edições Loyola.

domingo

Pedagogia Waldorf - Reportagem SBT

Matéria exibida em 02-09-2011 no Noticidade - SBT sobre uma escola Waldorf  e os excelentes resultados obtidos através da Pedagogia Waldorf.

Você sabe o que é Pedagogia Waldorf

Pedagogia Waldorf é um dos desenvolvimentos das teorias de Rudolf Steiner, além da medicina antroposófica e a Agricultura biodinâmica.

 Introduzida por Rudolf Steiner em 1919, em Estugarda, Alemanha, uma das principais características da pedagogia é o embasamento na concepção de desenvolvimento do ser humano, criada pelo próprio Rudolf Steiner, que leva em conta as diferentes características das crianças e jovens, segundo sua idade aproximada. Um mesmo assunto é abordado várias vezes durante o ciclo escolar, mas nunca da mesma maneira, e sempre respeitando a capacidade de compreensão da criança.

Para atingir a formação do ser humano, a pedagogia atua no desenvolvimento físico, anímico e espiritual do aluno, incentivando o querer (agir) por meio da atividade corpórea das crianças em quase todas as aulas. O sentir é estimulado na constante abordagem artística e nas atividades artesanais específicas para cada idade. O pensar é cultivado paulatinamente, desde a imaginação incentivada por meio de contos, lendas e mitos – no início da escolaridade –, até o pensar abstrato rigorosamente científico do Ensino Médio (colegial).

Uma das características marcantes da Pedagogia Waldorf é o fato de não se exigir do aluno, ou cultivar precocemente o pensar abstrato (intelectual)
Almeja-se que as aulas sejam um preparo para a vida. Procura-se desenvolver as qualidades necessárias para que os jovens floresçam e saibam lidar com as constantes e velozes mudanças que se apresentam no mundo, com criatividade, flexibilidade, responsabilidade e capacidade de questionamento.

Entende-se que o jovem, cada vez mais, precisa ser articulado e capaz de se comunicar claramente, tanto se abrindo para o que os outros têm a dizer como encontrando a melhor forma para expressar seus pensamentos ao mundo. Para tanto, a Pedagogia Waldorf, segundo seus adeptos, permanece revolucionária até os dias de hoje.

Fórum Educação em Primeiro lugar


O Fórum Educação em Primeiro Lugar: Uma nova educação. Um novo Brasil realizada entre os dias 26 e 28 de junho se propôs a discutir a temática A Renascença da Educação no Século XXI: O Que Transmitir? A Quem Transmitir? Como Transmitir? Trouxe a  Salvador, pensadores renomados da educação brasileira para discutir como devemos agir e pensar a educação contemporânea. Foi um evento significativo com painéis que versavam sobre: O Mundo que Queremos; Educação e Saúde; Educação e Sustentabilidade; Educação, Mídia e Tecnologia. Para além, Cirandas de Opiniões e entrevistas enriqueceram as reflexões nos dias do encontro. No último dia do encontro reunidos em três salas de trabalho os participantes escritos participaram de um momento de sistematização das experiências onde propostas para a educação que queremos e necessitamos foram sistematizadas. O fórum também foi o evento de lançamento do site Educação em Primeiro Lugar, que objetiva manter viva as reflexões sobre a educação no século XXI.


Marcelo Sando e Emília Queiroga




 Educação em Primeiro Lugar!


Platéia lotada!


Renato Caporali, Diretor Superintendente do SESI Nacional e o filósofo Marcelo Sando na abertura do Fórum Educação em Primeiro Lugar.



Momento Arte cênica.



^

Os palestrantes do "Painel de Educação e Saúde" do Fórum Educação em Primeiro Lugar com o filósofo Marcelo Sando. 

Da esquerda para direita Fátima Guedes, Marcelo Sando, Julia Caiado, Jucelma Coelho e Josef Yaari.




Os palestrantes do "Painel de Educação e Sustentabilidade" do Fórum Educação em Primeiro Lugar com o filósofo Marcelo Sando. 

Da esquerda para direita Genebaldo Freire, Rogério Barros, Marcelo Sando, Terezinha Moreira e Marcos Queiroz.





A cineasta Mara Mourão e o filósofo Marcelo Sando no "Painel Educação, Mídia e Tecnologia".

Grupos de discussão e sistematização: O que transmitir? A quem transmitir? Como Transmitir?


O escritor Iury Sagaz, no encerramento do Fórum Educação em Primeiro Lugar.

O escritor Iury Sagaz media uma conversa com Arun Gandhi.



Marcelo Sando, Lynnea Bylund, Arun Gandhi e Iury Sagaz.



Iury Sagaz e Marcelo Sando com Arun Gandhi.


Arun Gandhi
Show de Encerramento 

sexta-feira

Mensagem do Senador Critovam Buarque para o Fórum Educação em Primeiro Lugar


Mensagem do  Senador Cristovam Buarque no segundo dia do Fórum Educação em Primeiro Lugar.

Arun Gandhi - Fórum Educação em Primeiro Lugar


Arun Gandhi, neto de Mahatma Gandhi e fundador do Gandhi Wordwide Education Institute em sua apresentação ocorrida no dia 26 de junho de 2012 no TCA, onde nos privilegiou com suas histórias e reflexões acerca da cultura que queremos: a da não violência. Foi um momento impar,emocionante! Em suas palavras ensinamentos, PAZ, reflexões sobre a violência suas causas e consequências. ORGULHO de ter participado deste momento especial na abertura do Fórum Educação em Primeiro Lugar.

Direto do site da SECULT Ba

NOTÍCIAS

Salvador sedia fórum internacional de educação

20/06/2012

A capital baiana vai receber, entre os dias 26 e 28 de junho, a primeira edição do “Fórum Educação em Primeiro Lugar”. Promovido pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secult), o fórum tem como proposta repensar o sistema educacional adotado hoje no país, assim como o papel do educador, da escola e dos meios e modos de educar. 



O encontro – que tem como tema “A Renascença da Educação no Séc. XXI: o que transmitir, a quem transmitir e como transmitir” – reunirá diretores, especialistas, lideranças nacionais e internacionais na área da educação para discutir iniciativas pedagógicas e didáticas que atendam às necessidades e desafios deste século. De acordo com o secretário municipal João Carlos Bacelar, esta será uma ótima ocasião para evidenciar a necessidade de colocar a educação em primeiro lugar na agenda dos gestores públicos e da sociedade brasileira, além de discutir um dos maiores desafios do país nos dias atuais: a qualificação dos docentes. “Precisamos de pessoas qualificadas para construir o tipo de desenvolvimento que queremos para o país e o futuro para as próximas gerações”.



Uma das palestrantes será a especialista em Educação Emilia Queiroga, vice-presidente da Global Urban Development e mentora do fórum. “Nunca tivemos tanta informação e tanto conhecimento disponíveis nas mais diferentes áreas da atividade humana. O conhecimento pelo conhecimento, sem uma boa base de aplicabilidade, consciência e sabedoria, sem uma visão sistêmica e integrada da realidade não são suficientes para educar uma sociedade verdadeiramente justa e digna para todos, muito menos sustentável”, avalia a especialista, ressaltando que “se a educação e o conhecimento hoje oferecidos fossem suficientes para os dias atuais estaríamos vivendo em um paraíso”.


O painel de abertura, a ser realizado na próxima terça-feira (26), às 20 horas, no Teatro Castro Alves (TCA), contará com as presenças de Arun Gandhi, neto de Mahatma Gandhi e fundador do Gandhi Wordwide Education Institute; do senador Cristovam Buarque e da socióloga Maria Alice Setubal. Além disso, o cerimonial contará com apresentações de arte-ciência e Edutretenimento (educação através do entretenimento) e um show-case de empreendedorismo social – ações que estarão presentes em toda a grade do fórum, mostrando que estes novos conceitos de educação já estão presentes nas propostas de conteúdo transversal do Ministério da Educação. Já na quarta e quinta-feira (27 e 28), o evento prossegue no hotel Pestana, a partir das 7h30.

domingo

TEORIA e PRÁTICA da FORMAÇÃO do LEITOR: Leitura e literatura na sala de aulaO


O livro da psicóloga e Mestre em Letras pela UNEB, Lena Lóis,  faz uma reflexão sobre as diversas possibilidades de gerar diálogos, promover um encontro entre a literatura e seus significados afetivos e discutir as diferenças entre a leitura e a leitura do texto literário, sempre trazendo à cena o leitor como peça fundamental para compreensão do ato de ler.

Teoria e Prática da Formação do Leitor apresenta:


  • Sugestões de práticas com a literatura e com a palavra
  • Recomendações sobre espaços físicos para os livros
  • Dicas sobre as diferentes possibilidades de se avaliar o leitor
Teoria e Prática da Formação do Leitor: leitura e literatura em sala de aula é um livro da Editora artmed.

Web 2.0 - A máquina somos nós



Video excelente que fala da recombinação dos conteúdos disponíveis da cibercultura, remetendo a reflexão de como essas recombinações levaram ao crescimento cada vez maior da interatividade.

sábado

Rafinha Bastos De Frente com Gabi


Rafinha Bastos chora em entrevista para Marília Gabriela ao falar do processo que envolve a cantora Wanessa Camargo.

segunda-feira

Você sabe o que é um meme?


Bom, pra começar a história vamos explicar o que é um meme de uma forma mais científica: Meme é “considerado como uma unidade de informação que se multiplica de cérebro em cérebro, ou entre locais onde a informação é armazenada (como livros) e outros locais de armazenamento ou cérebros. No que diz respeito à sua funcionalidade, o meme é considerado uma unidade de evolução cultural que pode de alguma forma autopropagar-se.

O estudo dos modelos evolutivos da transferência de informação é conhecido como memética.”
Não entendeu? Mas, que bruxaria é essa? Pois bem, alguém já deve ter “trollado”você no Facebook ou te chamado de “#ForeverAlone” no Twitter. Memes e mais “memes”, só os encontramos nas redes sociais e blogs alheios. Eles estão dominando – ou já dominaram – a internet sendo impossível deixar de ver um pela web. De uma forma mais simplificada Meme é tudo o que se aprende por cópia a partir de uma outra pessoa. Resumindo ao máximo, alguém faz, você vê, gosta e copia. Outras pessoas vão ver você fazendo, também gostarão e copiarão. Desta maneira, a evolução de um meme é quase sempre viral e exponencial.
Eles podem ser uma imagem (como as “Rages Faces”),uma gíria ou bordão (“Senta lá, Claúdia” ou “Fica, vai ter bolo“),um vídeo (como as paródias do clipe “A banda mais bonita da cidade“),entre outros. Mas como eles se espalham?
Twitter
O microblog é um ambiente favorável para isso. É fácil espalhar as coisas na rede social e as pessoas aderem a qualquer coisa. Por isso que o #memeday (13 de maio) nasceu no Twitter.

Blogs
A blogosfera é o principal canal de divulgação dos memes. Existem vários blogueiros que fizeram vários deles, como o #ForeverAlone, chegar ao grande público brasileiro.
Vamos conhecer alguns deles:
Forever Alone: Meme mais triste e solitário da internet, usado em situações, no qual o personagem é solitário e não tem nenhum amigo.
Trollface: prega peça e tira sarro de todos, conhecido pela arte da “trollagem”. É o personagem mais esperto e que quer sempre tirar vantagem dos outros.
LOL: uma sigla em inglês (Laughing Out Loud), ou seja, rindo muito, descontroladamente e alto, geralmente por alguma bobagem.

A cultura da internet é de tamanha permissividade que tudo que é criado nesse ambiente é muito bem aceito e os “memes” é uma das expressões mais fortes disto. É a internet viralizando a cultura no dia a dia dos jovens.

sexta-feira

Simpsons - Bart e o TDAH (legendado)

Cenas de um episódio dos Simpsons que satiriza o diagnóstico de Transtorno de Déficit de Atenção (TDA) e a indústria farmacêutica por trás dos medicamentos psicotrópicos.

Pink Floyd - Another Brick In The Wall (Legendado)


Sábio é o que deixa sua marca em tudo que faz, pois mesmo quando não esta mais presente, todos lembram que por ali ele passou e fez a diferença!

sábado

Será? Devemos pensar como a tecnologia deve estar inserida em sala.

Para se divertir e pensar!!

Adivinhe quem sou!

Hipermídia e Hipertexto

Por Fabiana Silva.

A hipermídia e o hipertexto retomam o conceito de escrita de uma nova forma, mais ampla. Estes trazem a escrita como forma de representação e organização das idéias através de signos. Forma essa que é representada através de uma lógica, mesmo que essa não seja a escrita alfabética. Assim podemos conceituar hipertexto e hipermídia da seguinte forma:

Hipertexto é o termo que remete a um texto em formato digital, ao qual se agrega outros conjuntos de informação na forma de blocos de textos, imagens ou sons, cujo acesso se dá através de referências específicas denominadas hiperlinks, ou simplesmente links. Esses links ocorrem na forma de termos destacados no corpo de texto principal, ícones gráficos ou imagens e têm a função de interconectar os diversos conjuntos de informação, oferecendo acesso sob demanda a informações que estendem ou complementam o texto principal.

Hipermídia é o conjunto de meios que permite acesso simultâneo a textos, imagens e sons de modo interativo e não linear, possibilitando fazer links entre elementos de mídia, controlar a própria navegação e, até, extrair textos, imagens e sons cuja seqüência constituirá uma versão pessoal desenvolvida pelo usuário.

Nestes, a escrita se organiza e se agrupa numa perspectiva diferente, a da cibercultura, que traz novos modos de agenciamento de idéias que se organizam através dos dispositivos digitais e em rede.

Autores como Turkle, Lèvy, Rushkoff e Tapscott defendem que a interação com as mídias gera transformações na forma  dos sujeitos pensarem e conceberem o mundo. Trata-se, portanto, de sujeitos que interagem cm o mundo através da tecnologia e que tem nas imagens e sons cada vez mais hibridizados a base dos seus processos comunicativos e cognitivos, organizando-se não só na lógica da escrita linear, mas sim através de pensamentos hipertextuais e associativos.

Desta forma, a leitura  e a construção de conceitos e sentidos faz da construção da narrativa um “algo” sempre complexo, com distintos pontos de vista, conexões e continuidades espaciais temporais, estéticas e narrativas, não eliminando a idéia da autoria e sim construindo e alicerçando a idéia de co-autoria.

domingo

O Sermão da Montanha - Versão para professores

Das (muitas) bobagens que a gente recebe por e-mail, mas desconhece o autor.
Quem é professor sabe que a história é bem por aí mesmo…
Naquele tempo, Jesus subiu a um monte seguido pela multidão e, sentado sobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem. Ele os preparava para serem os educadores capazes de transmitir a lição da Boa Nova a todos os homens.
Tomando a palavra, disse-lhes:
- Em verdade, em verdade vos digo: Felizes os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Felizes os misericordiosos, porque eles…
Pedro o interrompeu:
- Mestre, vamos ter que saber isso de cor?
André perguntou:
- É pra copiar?
Filipe lamentou-se:
- Esqueci meu papiro!
Bartolomeu quis saber:
- Vai cair na prova?
João levantou a mão:
- Posso ir ao banheiro?
Judas Iscariotes resmungou:
- O que é que a gente vai ganhar com isso?
Judas Tadeu defendeu-se:
- Foi o outro Judas que perguntou!
Tomé questionou:
- Tem uma fórmula pra provar que isso tá certo?
Tiago Maior indagou:
- Vai valer nota?
Tiago Menor reclamou:
- Não ouvi nada, com esse grandão na minha frente.
Simão Zelote gritou, nervoso:
- Mas porque é que não dá logo a resposta e pronto!?
Mateus queixou-se:
- Eu não entendi nada, ninguém entendeu nada!
Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:
- Isso que o senhor está fazendo é uma aula?
- Onde está o seu plano de curso e a avaliação diagnóstica?
- Quais são os objetivos gerais e específicos?
- Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?
Caifás emendou:
- Fez uma programação que inclua os temas transversais e atividades integradoras com outras disciplinas?
- E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais?
- Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?
Pilatos, sentado lá no fundão, disse a Jesus:
- Quero ver as avaliações da primeira, segunda e terceira etapas e reservo-me o direito de, ao final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade.
- Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projeto.
- E vê lá se não vai reprovar alguém!
E, foi nesse momento que Jesus disse: 
-”Senhor, por que me abandonastes?…”

sábado

O Mestre Ignorante - Jacques Rancière


O livro O mestre ignorante, de Jacques Rancière, fala sobre um professor francês, Joseph Jacotot, que se encontrou na seguinte situação: tinha que lecionar Literatura para alunos holandeses que ignoravam o francês, assim como ele ignorava o holandês. Com isso, J. Jacotot aplicou um método diferente do tradicional, onde o professor emancipa seus alunos. Antes de se encontrar em tal situação, Jacotot acreditava que o mestre tinha como tarefa transmitir seus conhecimentos aos alunos. Porém, diante desta nova situação, ele introduziu um livro, Telêmaco, que era algo comum entre eles, pois era uma edição bilíngüe (francês-holandês). A partir deste livro, e com a ajuda de um intérprete, ele orientou seus alunos a aprenderem a língua francesa lendo o livro com ajuda da tradução. Mais adiante, ao pedir que eles escrevessem em francês o que compreenderam, Jacotot teve uma surpresa: seus alunos se saíram muito bem. Assim, ele começou a refletir: seria então desnecessária a explicação? J. Jacotot passou a acreditar que seria preciso mudar seu tradicional método de ensinar. Através da explicação, o mestre transmite seus conhecimentos e verifica se o aluno entendeu, o que, para Joseph Jacotot, passa a ser o princípio do embrutecimento. E, em contradição a esse princípio, “surge” o princípio da Emancipação. No método emancipador pode-se ensinar qualquer coisa, mesmo sendo ignorante no assunto. Mas, para isso, é necessário emancipar o aluno, ou seja, fazer com que o aluno aprenda sozinho, usando apenas sua própria inteligência. E este seria o Ensino Universal. Conseqüentemente, pode-se também aprender qualquer coisa.

O Duende da Ponte - Livro


Para chegar à escola, Teo precisa atravessar uma ponte. Porém, embaixo da ponte mora um duende medonho e terrível, que cobra pedágio de quem quiser atravessá-la. Como Teo não tem dinheiro e precisa ir à escola, propõe ao duende um jogo de adivinhas e charadas. Se ganhar, terá o direito de atravessar a ponte sem pagar. Será que Teo conseguirá chegar à escola todos os dias? O Duende da Ponte é uma divertida história, que despertará o gosto de propor e criar novas charadas, além de trazer à tona discussões sobre poder, esperteza e soluções criativas para situações-problema. Excelente ilustração.

Oração - A Banda mais Bonita da Cidade

A História das Coisas - Documentário




Sinopse:Da extração e produção até a venda, consumo e descarte, todos os produtos em nossa vida afetam comunidades em diversos países, a maior parte delas longe de nossos olhos.
História das Coisas é um documentário de 20 minutos, direto, passo a passo, baseado nos subterrâneos de nossos padrões de consumo.
História das Coisas revela as conexões entre diversos problemas ambientais e sociais, e é um alerta pela urgência em criarmos um mundo mais sustentável e justo.
História das Coisas nos ensina muita coisa, nos faz rir, e pode mudar para sempre a forma como vemos os produtos que consumimos em nossas vidas.

PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA - Emilia Ferreiro



FERREIRO, Emilia; TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

A partir dos anos 70, a psicolingüística Emilia Ferreiro, revolucionou a alfabetização com o processo de alfabetização através de uma investigação hipotética nos diferentes campos da aquisição da leitura e da escrita.

FERREIRO, procurou estudar o próprio sujeito: o sujeito cognoscente. Ela procurou ativamente compreender o mundo que o rodeia de resolver as interrogações que este mundo provoca. Não é um sujeito o qual espera que alguém que possui um conhecimento o transmita ele por um ato de benevolência. É um sujeito que aprende basicamente através de suas próprias ações sobre os objetos do mundo e que constrói suas próprias categorias de pensamentos ao mesmo tempo em que organiza seu mundo. A psicolingüística argentina Emília Ferreiro, doutorou-se pela Universidade de Genebra e foi orientada por Jean Piaget e teve como colaboradora Ana Teberosky.

Psicóloga e pesquisadora do Instituto Municipal de Barcelona, desde 1974 dedicou-se à aplicação da teoria psicogenética diretamente na sala de aula, enfocando o impacto da colaboração de ambientes bilíngües (catalão e espanhol) sobre a alfabetização de crianças. Inovou ao utilizar a teoria do mestre para investigar um campo que não tinha sido objeto de estudo piagetiano. Piaget pesquisou mais profundamente o conhecimento de fonte interna, a que denominou lógico-matemático, e que se refere ao estabelecimento de relações entre os objetos, fatos e fenômenos ultrapassam, portanto, os limites do conhecimento físico observável e das ações, exigindo maior desenvolvimento das estruturas mentais.

Emilia Ferreiro partiu do interesse em descobrir qual era o processo de construção da escrita, ao planejar situações experimentais. Procurou-se que a criança colocasse em evidência a escrita, tal como ela vê a leitura tal como ela entende e os problemas tal como ela os propõe para si.

O resultado da investigação de Emilia Ferreiro proporcionou dois indícios: por um lado, que o processo de aprendizagem da criança pode ir por vias insuspeitadas para o docente, e por outro, que criança de classe baixa não começa do “zero” na primeira série. De acordo com a teoria de Emilia Ferreiro o conhecimento se constrói a partir do sujeito cognoscente e do objeto a conhecer, no qual o objeto serve de ocasião para que o conhecimento se desenvolva. Não se trata simplesmente empregar a “prova piagetiana” para estabelecer novas correlações, mas sim, de utilizar os esquemas assimiladores que a teoria nos permite construir para descobrir novas observáveis. A partir daqui construiu-se uma teoria psicogenética da aquisição da língua escrita.

Em 1979, Emilia Ferreiro juntamente com Ana Teberosky escreveu o livro intitulado “Psicogênese da Língua Escrita”.Sua obra foi um marco na área, destacando que as crianças não chegam à escola sem saber nada sobre a língua.

De acordo com a teoria construtivista, toda criança passa por quatro fases até que esteja alfabetizada.A psicolingüística nos permite introduzir a escrita enquanto o objeto de conhecimento, e o sujeito da aprendizagem, enquanto o sujeito cognoscente.

A concepção da aprendizagem inerente à psicologia genética supõe necessariamente que existam processos de aprendizagem, do sujeito que não depende dos métodos. A obtenção de conhecimento é um resultado da própria atividade do sujeito.

De acordo com a concepção construtivista, a compreensão de um objeto de conhecimento aparece estreitamente ligada à possibilidade de o sujeito reconstruir este objeto por ter compreendido quais são suas leis de composição.

Estudando esse processo evolutivo definiu os estágios de sua evolução que tem sido comprovado por diversos pesquisadores.

De acordo com a teoria construtivista, toda criança passa por quatro fases até que seja alfabetizada: pré-silábico, silábico, silábico-alfabético e alfabético.

Portanto, a educadora Emilia Ferreiro, demonstrou que a criança, desde cedo, tem hipótese sobre a leitura e a escrita, que necessitam ser conhecidas pelo professor e exploradas em seus vários níveis, para uma maior eficiência no processo ensino-aprendizagem. A passagem de um nível a outro, no processo de alfabetização, origina-se da tomada de consciência pelo aluno da insuficiência das hipóteses até então por ele formuladas para explicar a leitura e a escrita.